29 de Agosto – Lucas 4 e Jó 35-37 【Plano de Leitura Doutrina Cristã】

Plano de Leitura Bíblica Anual Doutrina Cristã, 29 de agosto, Lucas 4 e Jó 35-37.

Você está acessando o Plano de Leitura Bíblica Anual Doutrina Cristã que propõe a leitura diária do Antigo e o Novo Testamento, meditando em dois períodos ou, se preferir, em apenas um período de meia hora por dia.

A leitura no Novo Testamento não segue sempre a ordem bíblica dos livros, mas foi reorganizada para se facilitar a assimilação da doutrina cristã.

Leitura Bíblica do Dia

Leitura Bíblica do Dia - 29 de Agosto - Plano de Leitura Bíblica Doutrina Cristã

Neste Plano de Leitura Bíblica Anual Doutrina Cristã, os textos de 29 de agosto são Lc 4 e Jó 35-37.

Lucas 4

1 Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto,
2 durante quarenta dias, sendo tentado pelo diabo. Nada comeu naqueles dias, ao fim dos quais teve fome.
3 Disse-lhe, então, o diabo: Se és o Filho de Deus, manda que esta pedra se transforme em pão.
4 Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem.
5 E, elevando-o, mostrou-lhe, num momento, todos os reinos do mundo.
6 Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser.
7 Portanto, se prostrado me adorares, toda será tua.
8 Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto.
9 Então, o levou a Jerusalém, e o colocou sobre o pináculo do templo, e disse: Se és o Filho de Deus, atira-te daqui abaixo;
10 porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem;
11 e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra.
12 Respondeu-lhe Jesus: Dito está: Não tentarás o Senhor, teu Deus.
13 Passadas que foram as tentações de toda sorte, apartou-se dele o diabo, até momento oportuno.
14 Então, Jesus, no poder do Espírito, regressou para a Galiléia, e a sua fama correu por toda a circunvizinhança.
15 E ensinava nas sinagogas, sendo glorificado por todos.
16 Indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler.
17 Então, lhe deram o livro do profeta Isaías, e, abrindo o livro, achou o lugar onde estava escrito:
18 O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos,
19 e apregoar o ano aceitável do Senhor.
20 Tendo fechado o livro, devolveu-o ao assistente e sentou-se; e todos na sinagoga tinham os olhos fitos nele.
21 Então, passou Jesus a dizer-lhes: Hoje, se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir.
22 Todos lhe davam testemunho, e se maravilhavam das palavras de graça que lhe saíam dos lábios, e perguntavam: Não é este o filho de José?
23 Disse-lhes Jesus: Sem dúvida, citar-me-eis este provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo; tudo o que ouvimos ter-se dado em Cafarnaum, faze-o também aqui na tua terra.
24 E prosseguiu: De fato, vos afirmo que nenhum profeta é bem recebido na sua própria terra.
25 Na verdade vos digo que muitas viúvas havia em Israel no tempo de Elias, quando o céu se fechou por três anos e seis meses, reinando grande fome em toda a terra;
26 e a nenhuma delas foi Elias enviado, senão a uma viúva de Sarepta de Sidom.
27 Havia também muitos leprosos em Israel nos dias do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro.
28 Todos na sinagoga, ouvindo estas coisas, se encheram de ira.
29 E, levantando-se, expulsaram-no da cidade e o levaram até ao cimo do monte sobre o qual estava edificada, para, de lá, o precipitarem abaixo.
30 Jesus, porém, passando por entre eles, retirou-se.
31 E desceu a Cafarnaum, cidade da Galiléia, e os ensinava no sábado.
32 E muito se maravilhavam da sua doutrina, porque a sua palavra era com autoridade.
33 Achava-se na sinagoga um homem possesso de um espírito de demônio imundo, e bradou em alta voz:
34 Ah! Que temos nós contigo, Jesus Nazareno? Vieste para perder-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus!
35 Mas Jesus o repreendeu, dizendo: Cala-te e sai deste homem. O demônio, depois de o ter lançado por terra no meio de todos, saiu dele sem lhe fazer mal.
36 Todos ficaram grandemente admirados e comentavam entre si, dizendo: Que palavra é esta, pois, com autoridade e poder, ordena aos espíritos imundos, e eles saem?
37 E a sua fama corria por todos os lugares da circunvizinhança.
38 Deixando ele a sinagoga, foi para a casa de Simão. Ora, a sogra de Simão achava-se enferma, com febre muito alta; e rogaram-lhe por ela.
39 Inclinando-se ele para ela, repreendeu a febre, e esta a deixou; e logo se levantou, passando a servi-los.
40 Ao pôr-do-sol, todos os que tinham enfermos de diferentes moléstias lhos traziam; e ele os curava, impondo as mãos sobre cada um.
41 Também de muitos saíam demônios, gritando e dizendo: Tu és o Filho de Deus! Ele, porém, os repreendia para que não falassem, pois sabiam ser ele o Cristo.
42 Sendo dia, saiu e foi para um lugar deserto; as multidões o procuravam, e foram até junto dele, e instavam para que não os deixasse.
43 Ele, porém, lhes disse: É necessário que eu anuncie o evangelho do reino de Deus também às outras cidades, pois para isso é que fui enviado.
44 E pregava nas sinagogas da Judéia.

Jó 35

1 Disse mais Eliú:
2 Achas que é justo dizeres: Maior é a minha justiça do que a de Deus?
3 Porque dizes: De que me serviria ela? Que proveito tiraria dela mais do que do meu pecado?
4 Dar-te-ei resposta, a ti e aos teus amigos contigo.
5 Atenta para os céus e vê; contempla as altas nuvens acima de ti.
6 Se pecas, que mal lhe causas tu? Se as tuas transgressões se multiplicam, que lhe fazes?
7 Se és justo, que lhe dás ou que recebe ele da tua mão?
8 A tua impiedade só pode fazer o mal ao homem como tu mesmo; e a tua justiça, dar proveito ao filho do homem.
9 Por causa das muitas opressões, os homens clamam, clamam por socorro contra o braço dos poderosos.
10 Mas ninguém diz: Onde está Deus, que me fez, que inspira canções de louvor durante a noite,
11 que nos ensina mais do que aos animais da terra e nos faz mais sábios do que as aves dos céus?
12 Clamam, porém ele não responde, por causa da arrogância dos maus.
13 Só gritos vazios Deus não ouvirá, nem atentará para eles o Todo-Poderoso.
14 Jó, ainda que dizes que não o vês, a tua causa está diante dele; por isso, espera nele.
15 Mas agora, porque Deus na sua ira não está punindo, nem fazendo muito caso das transgressões,
16 abres a tua boca, com palavras vãs, amontoando frases de ignorante.

Jó 36

1 Prosseguiu Eliú e disse:
2 Mais um pouco de paciência, e te mostrarei que ainda tenho argumentos a favor de Deus.
3 De longe trarei o meu conhecimento e ao meu Criador atribuirei a justiça.
4 Porque, na verdade, as minhas palavras não são falsas; contigo está quem é senhor do assunto.
5 Eis que Deus é mui grande; contudo a ninguém despreza; é grande na força da sua compreensão.
6 Não poupa a vida ao perverso, mas faz justiça aos aflitos.
7 Dos justos não tira os olhos; antes, com os reis, no trono os assenta para sempre, e são exaltados.
8 Se estão presos em grilhões e amarrados com cordas de aflição,
9 ele lhes faz ver as suas obras, as suas transgressões, e que se houveram com soberba.
10 Abre-lhes também os ouvidos para a instrução e manda-lhes que se convertam da iniqüidade.
11 Se o ouvirem e o servirem, acabarão seus dias em felicidade e os seus anos em delícias.
12 Porém, se não o ouvirem, serão traspassados pela lança e morrerão na sua cegueira.
13 Os ímpios de coração amontoam para si a ira; e, agrilhoados por Deus, não clamam por socorro.
14 Perdem a vida na sua mocidade e morrem entre os prostitutos cultuais.
15 Ao aflito livra por meio da sua aflição e pela opressão lhe abre os ouvidos.
16 Assim também procura tirar-te das fauces da angústia para um lugar espaçoso, em que não há aperto, e as iguarias da tua mesa seriam cheias de gordura;
17 mas tu te enches do juízo do perverso, e, por isso, o juízo e a justiça te alcançarão.
18 Guarda-te, pois, de que a ira não te induza a escarnecer, nem te desvie a grande quantia do resgate.
19 Estimaria ele as tuas lamúrias e todos os teus grandes esforços, para que te vejas livre da tua angústia?
20 Não suspires pela noite, em que povos serão tomados do seu lugar.
21 Guarda-te, não te inclines para a iniqüidade; pois isso preferes à tua miséria.
22 Eis que Deus se mostra grande em seu poder! Quem é mestre como ele?
23 Quem lhe prescreveu o seu caminho ou quem lhe pode dizer: Praticaste a injustiça?
24 Lembra-te de lhe magnificares as obras que os homens celebram.
25 Todos os homens as contemplam; de longe as admira o homem.
26 Eis que Deus é grande, e não o podemos compreender; o número dos seus anos não se pode calcular.
27 Porque atrai para si as gotas de água que de seu vapor destilam em chuva,
28 a qual as nuvens derramam e gotejam sobre o homem abundantemente.
29 Acaso, pode alguém entender o estender-se das nuvens e os trovões do seu pavilhão?
30 Eis que estende sobre elas o seu relâmpago e encobre as profundezas do mar.
31 Pois por estas coisas julga os povos e lhes dá mantimento em abundância.
32 Enche as mãos de relâmpagos e os dardeja contra o adversário.
33 O fragor da tempestade dá notícias a respeito dele, dele que é zeloso na sua ira contra a injustiça.

Jó 37

1 Sobre isto treme também o meu coração e salta do seu lugar.
2 Dai ouvidos ao trovão de Deus, estrondo que sai da sua boca;
3 ele o solta por debaixo de todos os céus, e o seu relâmpago, até aos confins da terra.
4 Depois deste, ruge a sua voz, troveja com o estrondo da sua majestade, e já ele não retém o relâmpago quando lhe ouvem a voz.
5 Com a sua voz troveja Deus maravilhosamente; faz grandes coisas, que nós não compreendemos.
6 Porque ele diz à neve: Cai sobre a terra; e à chuva e ao aguaceiro: Sede fortes.
7 Assim, torna ele inativas as mãos de todos os homens, para que reconheçam as obras dele.
8 E as alimárias entram nos seus esconderijos e ficam nas suas cavernas.
9 De suas recâmaras sai o pé-de-vento, e, dos ventos do norte, o frio.
10 Pelo sopro de Deus se dá a geada, e as largas águas se congelam.
11 Também de umidade carrega as densas nuvens, nuvens que espargem os relâmpagos.
12 Então, elas, segundo o rumo que ele dá, se espalham para uma e outra direção, para fazerem tudo o que lhes ordena sobre a redondeza da terra.
13 E tudo isso faz ele vir para disciplina, se convém à terra, ou para exercer a sua misericórdia.
14 Inclina, Jó, os ouvidos a isto, pára e considera as maravilhas de Deus.
15 Porventura, sabes tu como Deus as opera e como faz resplandecer o relâmpago da sua nuvem?
16 Tens tu notícia do equilíbrio das nuvens e das maravilhas daquele que é perfeito em conhecimento?
17 Que faz aquecer as tuas vestes, quando há calma sobre a terra por causa do vento sul?
18 Ou estendeste com ele o firmamento, que é sólido como espelho fundido?
19 Ensina-nos o que lhe diremos; porque nós, envoltos em trevas, nada lhe podemos expor.
20 Contar-lhe-ia alguém o que tenho dito? Seria isso desejar o homem ser devorado.
21 Eis que o homem não pode olhar para o sol, que brilha no céu, uma vez passado o vento que o deixa limpo.
22 Do norte vem o áureo esplendor, pois Deus está cercado de tremenda majestade.
23 Ao Todo-Poderoso, não o podemos alcançar; ele é grande em poder, porém não perverte o juízo e a plenitude da justiça.
24 Por isso, os homens o temem; ele não olha para os que se julgam sábios.

Deus falou com você na sua leitura da Bíblia? Algum versículo te chamou mais a atenção? Ficou com dúvida? Comente sua leitura bíblica do dia logo abaixo.

Comente sua leitura bíblica do dia