15 de Outubro – Hebreus 11 e Provérbios 19-21 【Plano de Leitura Doutrina Cristã】

Plano de Leitura Bíblica Anual Doutrina Cristã, 15 de outubro, Hebreus 11 e Provérbios 19-21.

Você está acessando o Plano de Leitura Bíblica Anual Doutrina Cristã que propõe a leitura diária do Antigo e o Novo Testamento, meditando em dois períodos ou, se preferir, em apenas um período de meia hora por dia.

A leitura no Novo Testamento não segue sempre a ordem bíblica dos livros, mas foi reorganizada para se facilitar a assimilação da doutrina cristã.

Leitura Bíblica do Dia

Neste Plano de Leitura Bíblica Anual Doutrina Cristã, os textos de 15 de outubro são Hb 11 e Pv 19-21.

Hebreus 11

1 Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.
2 Pois, pela fé, os antigos obtiveram bom testemunho.
3 Pela fé, entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem.
4 Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala.
5 Pela fé, Enoque foi trasladado para não ver a morte; não foi achado, porque Deus o trasladara. Pois, antes da sua trasladação, obteve testemunho de haver agradado a Deus.
6 De fato, sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.
7 Pela fé, Noé, divinamente instruído acerca de acontecimentos que ainda não se viam e sendo temente a Deus, aparelhou uma arca para a salvação de sua casa; pela qual condenou o mundo e se tornou herdeiro da justiça que vem da fé.
8 Pela fé, Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia.
9 Pela fé, peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa;
10 porque aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e edificador.
11 Pela fé, também, a própria Sara recebeu poder para ser mãe, não obstante o avançado de sua idade, pois teve por fiel aquele que lhe havia feito a promessa.
12 Por isso, também de um, aliás já amortecido, saiu uma posteridade tão numerosa como as estrelas do céu e inumerável como a areia que está na praia do mar.
13 Todos estes morreram na fé, sem ter obtido as promessas; vendo-as, porém, de longe, e saudando-as, e confessando que eram estrangeiros e peregrinos sobre a terra.
14 Porque os que falam desse modo manifestam estar procurando uma pátria.
15 E, se, na verdade, se lembrassem daquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar.
16 Mas, agora, aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. Por isso, Deus não se envergonha deles, de ser chamado o seu Deus, porquanto lhes preparou uma cidade.
17 Pela fé, Abraão, quando posto à prova, ofereceu Isaque; estava mesmo para sacrificar o seu unigênito aquele que acolheu alegremente as promessas,
18 a quem se tinha dito: Em Isaque será chamada a tua descendência;
19 porque considerou que Deus era poderoso até para ressuscitá-lo dentre os mortos, de onde também, figuradamente, o recobrou.
20 Pela fé, igualmente Isaque abençoou a Jacó e a Esaú, acerca de coisas que ainda estavam para vir.
21 Pela fé, Jacó, quando estava para morrer, abençoou cada um dos filhos de José e, apoiado sobre a extremidade do seu bordão, adorou.
22 Pela fé, José, próximo do seu fim, fez menção do êxodo dos filhos de Israel, bem como deu ordens quanto aos seus próprios ossos.
23 Pela fé, Moisés, apenas nascido, foi ocultado por seus pais, durante três meses, porque viram que a criança era formosa; também não ficaram amedrontados pelo decreto do rei.
24 Pela fé, Moisés, quando já homem feito, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
25 preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado;
26 porquanto considerou o opróbrio de Cristo por maiores riquezas do que os tesouros do Egito, porque contemplava o galardão.
27 Pela fé, ele abandonou o Egito, não ficando amedrontado com a cólera do rei; antes, permaneceu firme como quem vê aquele que é invisível.
28 Pela fé, celebrou a Páscoa e o derramamento do sangue, para que o exterminador não tocasse nos primogênitos dos israelitas.
29 Pela fé, atravessaram o mar Vermelho como por terra seca; tentando-o os egípcios, foram tragados de todo.
30 Pela fé, ruíram as muralhas de Jericó, depois de rodeadas por sete dias.
31 Pela fé, Raabe, a meretriz, não foi destruída com os desobedientes, porque acolheu com paz aos espias.
32 E que mais direi? Certamente, me faltará o tempo necessário para referir o que há a respeito de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas,
33 os quais, por meio da fé, subjugaram reinos, praticaram a justiça, obtiveram promessas, fecharam a boca de leões,
34 extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram força, fizeram-se poderosos em guerra, puseram em fuga exércitos de estrangeiros.
35 Mulheres receberam, pela ressurreição, os seus mortos. Alguns foram torturados, não aceitando seu resgate, para obterem superior ressurreição;
36 outros, por sua vez, passaram pela prova de escárnios e açoites, sim, até de algemas e prisões.
37 Foram apedrejados, provados, serrados pelo meio, mortos a fio de espada; andaram peregrinos, vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, afligidos, maltratados
38 (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, pelos montes, pelas covas, pelos antros da terra.
39 Ora, todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé não obtiveram, contudo, a concretização da promessa,
40 por haver Deus provido coisa superior a nosso respeito, para que eles, sem nós, não fossem aperfeiçoados.

Provérbios 19

1 Melhor é o pobre que anda na sua integridade do que o perverso de lábios e tolo.
2 Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado.
3 A estultícia do homem perverte o seu caminho, mas é contra o SENHOR que o seu coração se ira.
4 As riquezas multiplicam os amigos; mas, ao pobre, o seu próprio amigo o deixa.
5 A falsa testemunha não fica impune, e o que profere mentiras não escapa.
6 Ao generoso, muitos o adulam, e todos são amigos do que dá presentes.
7 Se os irmãos do pobre o aborrecem, quanto mais se afastarão dele os seus amigos! Corre após eles com súplicas, mas não os alcança.
8 O que adquire entendimento ama a sua alma; o que conserva a inteligência acha o bem.
9 A falsa testemunha não fica impune, e o que profere mentiras perece.
10 Ao insensato não convém a vida regalada, quanto menos ao escravo dominar os príncipes!
11 A discrição do homem o torna longânimo, e sua glória é perdoar as injúrias.
12 Como o bramido do leão, assim é a indignação do rei; mas seu favor é como o orvalho sobre a erva.
13 O filho insensato é a desgraça do pai, e um gotejar contínuo, as contenções da esposa.
14 A casa e os bens vêm como herança dos pais; mas do SENHOR, a esposa prudente.
15 A preguiça faz cair em profundo sono, e o ocioso vem a padecer fome.
16 O que guarda o mandamento guarda a sua alma; mas o que despreza os seus caminhos, esse morre.
17 Quem se compadece do pobre ao SENHOR empresta, e este lhe paga o seu benefício.
18 Castiga a teu filho, enquanto há esperança, mas não te excedas a ponto de matá-lo.
19 Homem de grande ira tem de sofrer o dano; porque, se tu o livrares, virás ainda a fazê-lo de novo.
20 Ouve o conselho e recebe a instrução, para que sejas sábio nos teus dias por vir.
21 Muitos propósitos há no coração do homem, mas o desígnio do SENHOR permanecerá.
22 O que torna agradável o homem é a sua misericórdia; o pobre é preferível ao mentiroso.
23 O temor do SENHOR conduz à vida; aquele que o tem ficará satisfeito, e mal nenhum o visitará.
24 O preguiçoso mete a mão no prato e não quer ter o trabalho de a levar à boca.
25 Quando ferires ao escarnecedor, o simples aprenderá a prudência; repreende ao sábio, e crescerá em conhecimento.
26 O que maltrata a seu pai ou manda embora a sua mãe filho é que envergonha e desonra.
27 Filho meu, se deixas de ouvir a instrução, desviar-te-ás das palavras do conhecimento.
28 A testemunha de Belial escarnece da justiça, e a boca dos perversos devora a iniqüidade.
29 Preparados estão os juízos para os escarnecedores e os açoites, para as costas dos insensatos.

Provérbios 20

1 O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido não é sábio.
2 Como o bramido do leão, é o terror do rei; o que lhe provoca a ira peca contra a sua própria vida.
3 Honroso é para o homem o desviar-se de contendas, mas todo insensato se mete em rixas.
4 O preguiçoso não lavra por causa do inverno, pelo que, na sega, procura e nada encontra.
5 Como águas profundas, são os propósitos do coração do homem, mas o homem de inteligência sabe descobri-los.
6 Muitos proclamam a sua própria benignidade; mas o homem fidedigno, quem o achará?
7 O justo anda na sua integridade; felizes lhe são os filhos depois dele.
8 Assentando-se o rei no trono do juízo, com os seus olhos dissipa todo mal.
9 Quem pode dizer: Purifiquei o meu coração, limpo estou do meu pecado?
10 Dois pesos e duas medidas, uns e outras são abomináveis ao SENHOR.
11 Até a criança se dá a conhecer pelas suas ações, se o que faz é puro e reto.
12 O ouvido que ouve e o olho que vê, o SENHOR os fez, tanto um como o outro.
13 Não ames o sono, para que não empobreças; abre os olhos e te fartarás do teu próprio pão.
14 Nada vale, nada vale, diz o comprador, mas, indo-se, então, se gaba.
15 Há ouro e abundância de pérolas, mas os lábios instruídos são jóia preciosa.
16 Tome-se a roupa àquele que fica fiador por outrem; e, por penhor, àquele que se obriga por estrangeiros.
17 Suave é ao homem o pão ganho por fraude, mas, depois, a sua boca se encherá de pedrinhas de areia.
18 Os planos mediante os conselhos têm bom êxito; faze a guerra com prudência.
19 O mexeriqueiro revela o segredo; portanto, não te metas com quem muito abre os lábios.
20 A quem amaldiçoa a seu pai ou a sua mãe, apagar-se-lhe-á a lâmpada nas mais densas trevas.
21 A posse antecipada de uma herança no fim não será abençoada.
22 Não digas: Vingar-me-ei do mal; espera pelo SENHOR, e ele te livrará.
23 Dois pesos são coisa abominável ao SENHOR, e balança enganosa não é boa.
24 Os passos do homem são dirigidos pelo SENHOR; como, pois, poderá o homem entender o seu caminho?
25 Laço é para o homem o dizer precipitadamente: É santo! E só refletir depois de fazer o voto.
26 O rei sábio joeira os perversos e faz passar sobre eles a roda.
27 O espírito do homem é a lâmpada do SENHOR, a qual esquadrinha todo o mais íntimo do corpo.
28 Amor e fidelidade preservam o rei, e com benignidade sustém ele o seu trono.
29 O ornato dos jovens é a sua força, e a beleza dos velhos, as suas cãs.
30 Os vergões das feridas purificam do mal, e os açoites, o mais íntimo do corpo.

Provérbios 21

1 Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR; este, segundo o seu querer, o inclina.
2 Todo caminho do homem é reto aos seus próprios olhos, mas o SENHOR sonda os corações.
3 Exercitar justiça e juízo é mais aceitável ao SENHOR do que sacrifício.
4 Olhar altivo e coração orgulhoso, a lâmpada dos perversos, são pecado.
5 Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza.
6 Trabalhar por adquirir tesouro com língua falsa é vaidade e laço mortal.
7 A violência dos perversos os arrebata, porque recusam praticar a justiça.
8 Tortuoso é o caminho do homem carregado de culpa, mas reto, o proceder do honesto.
9 Melhor é morar no canto do eirado do que junto com a mulher rixosa na mesma casa.
10 A alma do perverso deseja o mal; nem o seu vizinho recebe dele compaixão.
11 Quando o escarnecedor é castigado, o simples se torna sábio; e, quando o sábio é instruído, recebe o conhecimento.
12 O Justo considera a casa dos perversos e os arrasta para o mal.
13 O que tapa o ouvido ao clamor do pobre também clamará e não será ouvido.
14 O presente que se dá em segredo abate a ira, e a dádiva em sigilo, uma forte indignação.
15 Praticar a justiça é alegria para o justo, mas espanto, para os que praticam a iniqüidade.
16 O homem que se desvia do caminho do entendimento na congregação dos mortos repousará.
17 Quem ama os prazeres empobrecerá, quem ama o vinho e o azeite jamais enriquecerá.
18 O perverso serve de resgate para o justo; e, para os retos, o pérfido.
19 Melhor é morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e iracunda.
20 Tesouro desejável e azeite há na casa do sábio, mas o homem insensato os desperdiça.
21 O que segue a justiça e a bondade achará a vida, a justiça e a honra.
22 O sábio escala a cidade dos valentes e derriba a fortaleza em que ela confia.
23 O que guarda a boca e a língua guarda a sua alma das angústias.
24 Quanto ao soberbo e presumido, zombador é seu nome; procede com indignação e arrogância.
25 O preguiçoso morre desejando, porque as suas mãos recusam trabalhar.
26 O cobiçoso cobiça todo o dia, mas o justo dá e nada retém.
27 O sacrifício dos perversos já é abominação; quanto mais oferecendo-o com intenção maligna!
28 A testemunha falsa perecerá, mas a auricular falará sem ser contestada.
29 O homem perverso mostra dureza no rosto, mas o reto considera o seu caminho.
30 Não há sabedoria, nem inteligência, nem mesmo conselho contra o SENHOR.
31 O cavalo prepara-se para o dia da batalha, mas a vitória vem do SENHOR.

Deus falou com você na sua leitura da Bíblia? Algum versículo te chamou mais a atenção? Ficou com dúvida? Comente sua leitura bíblica do dia logo abaixo.

Comente sua leitura bíblica do dia